segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

'Cos I got time while she got freedom

Ela tinha mais coisas pra lhe dizer.
Quando ele se despediu, entre beijos e abraços apertados, ela deveria ter dito mais.
Ela sabia que ia chegar a hora. O dia amanheceu e ela acordou pensando em como seria o final, quando ele deveria ir, e inevitavelmente, seria o ponto. Mas ele ainda estavas lá, a cabeça dela no peito dele, a mão dele na cintura dela. 
Ela tinha mais coisas pra lhe dizer.
Quando ele pediu que ela ficasse de pé, para se despedir, e falou da surpresa que tinha sido encontrá-la. Ela não conseguiu lhe dizer mais.
Quando ele disse que o abraço dela era gostoso, ela não conseguiu dizer nada, nem fazer nada. 
Quando ele disse que tinha sido um prazer, ela só conseguiu brincar, porque ela queria dizer mais, mas nessa hora, não sabia que tinha mais pra dizer.
Quando a porta da rua fechou, e ficou o perfume dele, que tinha começado a enlouquece-la, ela ficou triste, com um nó na garganta das palavras que queria ter dito e não disse. Ela tinha mais pra dizer. 
Ela queria lhe pedir pra ficar essa noite, só mais essa noite. Dizer que desejou que tudo fosse de um jeito, mas acabou indo por outro. Ela caiu.
Ela tinha mais pra dizer, e perdeu a oportunidade. Agora queria chorar e não conseguia. E ela sabia que aquelas palavras a iam sufocar, e de noite, deitada, sozinha, ela se amaldiçoaria por ter perdido essa vez, sentindo o perfume dele na cama. 
Ela tinha tanta coisa pra lhe dizer...


* E aí, pessoas, como está sendo esse começo de ano ímpar? E opa! Temos texto em conjunto na Casa. Não deixem de ler.

14 comentários:

Anna Bueno disse...

Ainda bem que desse mal eu nao morro. Nunca deixo nada pra depois...
Bjoss

MELISSA S disse...

eu tb não costumo deixar nada pra depois. A impulsividade assalta meus atos, sempre. E mesmo que eu me arrependa deles, antes seja assim do que faltar por omissão!! Bjs, mulher!! Feliz 2009!

Aline T.H. disse...

Eu quero saber do depois. Quero mesmo. E ela há de me contar!

Eu não sei, viu, tou numas de que falar nem sempre é bom já que é tão difícil ser entendida. Anyway...

Beijocas.

Jhennifer Cavassola disse...

Não podemos deixar nada pra depois. Temos que viver o agora. É melhor se arrepender do que fez, do que não fez. Pra que esperar? Não era melhor falar?

Beleza de texto!!

Beijos e obrigada!!

*K-rol* disse...

oie!
primeira vez que passo por aqui!

te vi no cinta-liga e resolvi espiar!

gostei do texto!
várias vezes penso "dizer ou não dizer?!" na dúvida, deixo sempre mais coisas por dizer, e me arrependo...
mas supero! já foi mesmo!

bom, até a próxima visita e feliz 2009!

Lekkerding. disse...

Ainda há tempo... Sempre há tempo.

Lekkerding. disse...

E ela também pode seguir os sábios ensinamentos do Dalai Lama e viver tranquila consigo mesma:
If a problem is fixable, if a situation is such that you can do something about it, then there is no need to worry. If it's not fixable, then there is no help in worrying. There is no benefit in worrying whatsoever.

vida cotidiana disse...

Deixar para depois, pra que?
2009? tá começando devagar, ainda não engrenou, bjs

Cacau disse...

Puxa!!!! Parece que acabo de ver um remember da minha vida...rs
Adorei... sensível e intenso
Foi um prazer passar por aqui.

Johannes disse...

Protelar é uma grande falha (ou será tb uma virtude?) do ser humano! Eu sou meio protelador, e as vezes perco a chance, mas quando ela volta (o que é raro) não perco tempo!

2009 começou! E o trabalho também! Pode-se dizer que eu to engatando a 2ª já!

Bjos e abraço!
A propósito: ótimo post! Muito bem escrito!

Monday disse...

a gente quase nunca fala, mesmo tendo mais coisas pra dizer ... e faz isso várias vezes, até aprender a falar ... e nunca mais dormir com aquela sensação de chance perdida que nunca mais voltará a acontecer ...

Jaque Lima disse...

Às vezes temos tanto pra dizer, mas aí deixamos as palavras de lado. e terminamos num abraço apertado. numa porta entreaberta. e num desejo conjugado. esse seu texto é tão real.

P.S: e a viagem?!

Beijos!!!

Fabio Fernandes disse...

Já li, e comentei o texto da Casa. "Bão, muito bão."

Acho que se é pra dizer, tem que se dizer. Agora o quê há pra ser dito, deve ser dito apenas se fosse o momento certo. Quem sabe ela não soube avaliar bem se era mesmo o momento oportuno para tê-lo dito?? E se foi isso.. nada impede que ela quebre o silêncio a qualquer momento. Aposto que ele vai gostar de ouvir o quê ela tem a dizer...

Bjokas.

iara disse...

sei lá....aprendi a fazer o que quero quando estou a fim, prefiro me arrepender do que fiz do que do que nem tentei fazer...
mas realmente as vezes algo nos segura, e aí pra não viver pendurada no ...e se? eu prefiro dizer a mim mesma que não era par ser...pq se não segui meus instintos algo me segurou...não era par ser...
bj