quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

And it's not what I was seeking

So, so you think you can tell 

A tal da verdade inquestionável.
Aquela, é, aquela que te faz rever teus pensamentos, tuas crenças, tuas ações e vontades.
Um dia, tudo está no lugar, e... 
Mas tudo está realmente no lugar? Quando tu encostas a tua cabeça no travesseiro, consegues dormir sem pensar na perguntar 'Mas e se...?', aquela que surge quando estás no limiar de perder o sentido pro sono? Assim sendo, tudo está realmente no lugar?

Do you think you can tell?

Não. Tudo está perfeitamente normal, mas anormalmente errado. E aí, tu acordas e ela cai no teu peito, te deixando sem ar, turvando a tua visão, nocauteando a tua mente com toneladas de informações, ramificações. E então, de repente, como se não fosse nada, as cartas caem e tu olhas pra frente, enxergando o nada.
A tal da verdade inquestionável, que desestrutura o teu mundo, brinca com a tua mente, testa a tua crença.
Dizem que todo mundo, um dia, se depara com uma, com duas, com várias. E aí, que se faz?
O que acontece quando tudo que tu crees certo, crees palpável, real, se torna mentira? Quando tua verdade absoluta se torna tão verídica quanto as resoluções que tu nunca cumpres?
O que fazes quando o mundo vira do avesso, sem nem te dar aviso de apertar os cintos?

And did you exchange a walk on part in the war for a lead role in a cage?

Dizem que o que acontece é isso: tu tens o mapa, e ele te diz que o caminho é sempre reto, sem bifurcações, sem desvios, sem porra nenhuma. Aí, quando tu estás lá, com o teu som ligado, pensando nesse lindo caminho que tens pela frente, e no qual tu sabes TUDO o que vais encontrar, te encontras com o fim súbito da estrada, sem aviso, só com duas opções, uma floresta de árvores velhas ou uma subida, que tu não tens a mínima idéia de onde vai dar. Aí, tu páras e pensas: 'Caralho, e agora?'. 
Tudo, em menor ou maior grau, que tu conhecias, não existe mais e pra isso não há mais voltas. O caminho em que tu confiavas, não existe. E agora?

Running over the same old ground. 
What have you found? The same old fears

Agora é a hora de rever tudo. Fazer tudo de novo. Começar do zero e reeguer uma nova crença, esquecer os velhos hábitos e tocar fora aquela antiga blusa, que já não te serve de nada.
Verdade inquestionável. Todo mundo, uma hora, dá de cara com uma.
E o que TU vais fazer quando encontrar com a tua?

Wish you were here...

8 comentários:

iara disse...

já dei de cara com tantas verdades. já me revirei do avesso tantas vezes...
já conheço os passos des aestrda, mas eles dão sim em alguma coisa. mas o caminho nunca é reto, é cheio de rosas, espinhos e surpresas...

Aline Dias disse...

"Eu vou ver o jogo se realizar de um lugar seguro"

quero cuidar mais de mim e não me entregar plenamento, pelo menos não agorra.

;)

disse...

Taynar, é por isso que ando tão sumida dos lugares.
Eu já não sei mais nem quem sou. Tá ....!
Minha vida de cabeça pra baixo. Espero que isso mude ou qq coisa do tipo.
Escreveu tudo o que eu queria. Transmissão?! Ficadúvida. rsss
Beijocas!

Fabio Fernandes disse...

Essa que é a graça da vida, a incerteza de certas coisas é o quê dá essa sensação de eterna mudança. E isso, basicamente, é um eterno aprendizado. Tu acostumas com uma verdade, achas que já definistes, mas a vida gosta de mudar tudo e te tira o chão por alguns segundos, só até tu recuperares novamente o juízo, com as idéias novamente no lugar..

Não acho que o mapa te mostre tudo em linha reta, ele pode até mostrar mas quando isso acontecer vai ter um "fog" a uns 2km à frente que te impossibilita de ver o resto da estrada, de prever o quê virá.

O melhor é olhar pela janela e ver o q se passa no presente..

Jhennifer Cavassola disse...

Isso já aconteceu comigo tantas vezes. Mas graças a Deus, nos ultimos 17 meses, tudo está calma e fresco. Não tenho mais me deparado com erros profundos e inquestionaveis. Claro que um errinho ali, ou acolá, uma mudança ali, outra acolá é sempre bem vinda e isso é bom. Mas não algo que me assuste.

Belissimo texto! Grande beijo

Ruberto Palazo disse...

Por que será que temos tanto medo do desconhecido, do novo... dizem que quando aprendemos as respostas, mudam as perguntas. Eu nao gosto desta frase, pelo simples fato que gosto de mudar as respostas mesmo que as perguntas sejam as mesmas. A rotina do caminho retilinio é transformar a calmaria em tédio, e a floresta velha pode ser que não seja tão escura quanto se anuncia.

A máfia volta, e tu o que me conta da Terrinha? rss

Beijos

MELISSA S disse...

Ainda tô na fase de acreditar que a única verdade é q de que a gente morre no final. Talvez me falta tempo de vida ainda para encontrar as outras. Ou talvez eu tenha que refletir pra ver se existe mais alguma :))

Momentos...volupté! disse...

Verdades...

"É difícil viver as verdades do mundo
Quando seu coração não se sente a vontade" Detonautas.