terça-feira, 2 de dezembro de 2008

It's been a long day at the bottom of the hill

She told me I was living in the past,
drinking from a broken glass.

Tens que aprender a cuidar de ti mesmo. Tens que aprender a ser tu, sempre, doa o que doer.
A maioria das pessoas sofre do mal do 'Mãe Eterna'.
Tu TENS que ficar com aquele alguém, essa pessoa não vive sem ti. Mas e tu? Queres viver só por essa pessoa? Porque foges da pergunta?

I walked down to the other end of the day,
just to catch those last few waves.
I held out my hand and slowly waved goodbye,
I turned now my eyes up to the sky

Sou responsável pelo outro. Ele não vive sem mim.
Isso existe, de verdade? Ou tentas te convencer disso, pra ter algum sentido, ou poderes te martirizar ainda mais?
Precisas aprender a velha frase, em que se dá a mão, mas nunca se acorrenta a alma. Tu não precisas disso. Isso não te faz crescer. Só te prende num passado faz-de-conta, numa vida de incertezas, o castelo de cartas marcadas do tempo e conhecidas certeza, que não te movem, só te seguram ali, preso no carretel enrolado da situação, esperando, vendo o momento em que a aranha gigante, e talvez nem tão mal, venha acabar com esta sub-vida.
Tens que aprender que pessoas são essenciais, mas vital és tu. Sonhar é necessário.
A casa protege o sonhador, dizem.
Sonhe, se perca, alcance. Mas lembra-te: cuida de ti.

I held out my hands into the light and I watched it die, 
I know that I was part to play

Espera flores, claro, elas dão beleza, cor, o tal sentido. Suja tua calça por estares ajoelhado, te amaldiçoando pela idéia que tu chamas de estúpida, mas ainda assim plantando uma semente. É isso que faz a vida ter sabor. Pode ser a princípio que o sabor não te agrade. Tu, já tão acostumado com o doce do chocolate, ou o viciante aroma de menta. Qual a graça de tomar aquele sorvete que tu sabes que alguém adora, se não puderes ligar e dizer: 'Ei, lembrei de ti'?
É bom ter conexão, claro. Mas isso significa que tu só existarás se alguém te validar?
Precisas aprender a cuidar de ti. A te amar.
Conhecer, não aceitar, mas ainda assim aprender a conviver com as tuas falhas, teus erros, tuas escolhas mal-sucedidas. A vida não é só o riso, a felicidade, a alegria. Esses são os topos, mas precisas conhecer os vales, os abismos.
São eles que te empurram pra cima, que te fazem querer chegar em cima.
Então, escala, ralando a mão, tirando o pedaço do joelho. Mas aprende a cuidar de ti.
É só o que importa.

I'm alone (I never wanna be alone),
now I (now I) turn to travel home


* Texto escrito pra uma pessoa em especial. Espero que ele não se importe de eu tê-lo postado.

20 comentários:

disse...

Taynar, que lindo esse texto e super sincero.
Não tenho todas as respostas. Bem que eu queria!
Eu leio seu blog há um tempo só não tinha comentado ainda.
Beijas!!!

disse...

O importante é vc sempre. Ever!

Aline T.H. disse...

Hmm. Tapa na minha cara, de alguma forma, mesmo que não seja pra mim. E tem gente que precisa ler isso... Anyway, let me shut the f*** up!

Beijo, linda. Como sempre, vc é genial!

Anna Bueno disse...

É verdade...Nós existimos independente de alguém nos validar ou não. Precisava muito ler isso hoje.
Bjos!

Monday disse...

até a gramática ensina: primeira pessoa, eu! pode até haver o tu e o ele/ela, mas sem eu, vai ser difícil conseguir ter um "nós"

minicontosperversos disse...

A mocinha sabe das coisas (Ham on rye)

Jaque Lima disse...

Espero que ele não se importe, porque o texto está ótimo. O quanto é díficil aceitar os abismos, tirar um pedaço do joelho e ralar a mão. tudo pra subir de novo. Chegar no topo, que podia ser sequencial, ciclico. Tanto faz. AS dificuldades e incertezas, realmente não são fáceis, mas são necessárias, para que possamos ser mestres, e deixar de ser aprendiz, nessa labuta!

Beijos!!!

Bill Falcão disse...

Claro que a pessoa gostou!
Baita texto, como diriam os gaúchos!
Bjooooooooo!!!!!!!!!!

Bridget Jones disse...

Ai, ai Taynar...

Achei loosho e esplendor isso, viu? Não poder ligar pro doido pra dizer q lembrou dele qdo chupou (epa!) o sorvete foi um trechinho q me captou.

Apesar de eu não ligar pra dizer essas coisas (sou destas que finge q é não liga), eu lembro. E ter de viver mascarando esses simples atos corriqueiros e legais, cansa.

Todos tínhamos q entender isso.

Beijo
BRID

João Lenjob disse...

Gostei de conhecer seu blog. Vi através de um dos favoritos. Beijos!!

João Lenjob

Betty disse...

Uau, foi fundo agora!
Valeu a pena lê-lo, vou refletir hoje boas horas do meu dia.
Bjs

Loira e Morena disse...

Taynar..que bom que meu texto lhe rendeu ideia..espero que tenha sido boas ideias e depois e conta!!!..rsrs
Adoro seu blog..vc sempre escreve de maneira bonita, gostosa de ler..

Beijocas da Loira

o que me vier à real gana disse...

Olá Taynar!

Não sei se da maioria se trata; tenho porém uma certeza: grande percentagem de muito boa gente sofre do mal de "Mãe eterna".

bjs

MELISSA S disse...

Belo texto, mulher. E de quebra, serve para todos nós. Conheça-te a ti mesmo. É uma máxima tão antiga, mas tão pouco usada... Vc tá no caminho. Eu tb tô. E sorte temos nós de já termos descoberto que sem auto-conhecimento o mundo é ilusório pq só se vive dos fragmentos refletidos nos olhos dos outros. A gente chega lá! Bjs

iara disse...

perfeito!
tão perfeito que to besta
nada a acrescentar.
só bater palmas
beijos.

vida cotidiana disse...

Post lindo, tão verdadeiro. espero que bata no coração de alguém....bjs.

MADRUGADA... disse...

E como poderá essa pessoa importar-se de tão belo texto publicado!?!

Gostei.

Cumprimentos

plinio fraga disse...

adorei, peq.
e to refletindo sobre tudo isso.
beijo.

Nucifera disse...

Há momentos nos quais não sei se me falta ser/sentir necessária ou se o que preciso é justamente de alguém que me faça sentir dependente. É tudo tão complicado às vezes...

Beijos

saudades daqui

Pavón disse...

Se não cuidar de ti, quem cuidará? Entao não espere, cuide de ti já e deixe que tantos outros façam o mesmo, por que a vida do outro pertence a ele, nao podemos vive-la, no maximo querer compartilhar a nossa com alguem e ele conosco, sem obrigações, de livre e expontanea liberdade...

Sábias palavras as suas, ou melhor, da pessoa que as escreveu...

Beijos