segunda-feira, 25 de agosto de 2008

But you can put the blame on me

Eu seeeeeeeeeei que falar de política em época de campanha, ou em qualquer época, é pedir pra levar um esculacho, mas eu topo o risco de ser chamada de idiota.

Tu percebes o quanto o senso de cidadania, política, direitos, noção, ou mesmo SANIDADE é avacalhado quando os candidatos à vereador da tua cidade (nem falo dos prefeitos, porque aí, é sacanagem) confundem visibilidade e 'fama' com capacidade de planejamento, organização, altruísmo e metas plausíveis de governança.
Indo cobrir umas pautas essa semana, tive a oportunidade de ir em vários cafundós de Belém, onde proliferam propagandas, santinhos, muros pichados, carros de pamonha, e toda sorte de campanha eleitoral, e juro, nessa hora me senti parente próxima de algum guerreiro mongól, com pensamentos envolvendo candidatos acéfalos despedaçados, cimitarras e sangue, muuuuuuuuuito sangue.

Explico.

Nas minha andanças por aí, vi a profusão de candidatura de animadoras de festa infantil, jogadores de futebol, cantores de banda popular, donos de inferninhos, e mais uma penca de personagens-exús.

Pra não criar conflito, eu falo logo que não tô questinando o plano de gestão de cada um, apesar de conhecer o de alguns e ficar com mais vergonha ainda, e nem vou entrar no mérito de que existem pessoas REALMENTE dispostas a fazer algo (tá, já sei que tu tens um candidato bom, que é diferente, e blá blá blá), vou entrar em outra vertente do causo.
O que me deixou (e deixa!) revoltada é um idiota qualquer, que porque é conhecido na cidade, por se apresentar vestido de palhaço em festas, acha que tem capacidade pra se eleger. É utilizar a 'fama' (ah, peloamordedeus!) para chegar num lugar, onde no mínimo, gente com massa encefálica ativa deveria estar. Mas talvez o pior nem seja um energúmeno qualquer se candidatar, o mais ridículo é votar nesse ser.

Vamos lá: vais dizer que não conheces alguém que votou no Enéas, só por curtição? Ou que votou naquele jogador do teu time porque o cara joga pra caralho? Não vou nem tão longe: quem nunca votou em um professor, amigo, parente ou sei-lá-conhecido que nunca teve qualquer engajamento político e do qual você não conhece patavinas das propostas, mas o cara decidiu tentar uma vaga, e tu como amigo-conterrâneo-conhecido resolveu dar uma força? Não é muito diferente de votar num cantor de banda popular porque tu achas ele bonitinho. E acreditem eu conheço pessoas com esse pensamento.

O que mais me revolta é ver que todo mundo mete a sua colher na política brasileira, mas na hora de votar, fazem a mesma merda de sempre.
Em quem tu vais votar?
- Num professor que eu tive aí...
- No meu tio que roubou uns milhões dos cofres públicos...
- No jogador do Paysandu, cara, o time tá precisando... (!)
- No Esqueleto, gosto que só da cerveja que se serve no bar dele...

E dá-lhe festival de sancides.
Temos 573 candidatos só em Belém, isso os sem problemas com o TSE, porque se forem computados esses outros, o número pula para 659 . Desse montante, 35 supostamente deveriam lutar por melhorias. O site do Transparência Brasil mostra que dos 35 vereadores que estão na Câmara agora, 8 têm pendências na Justiça. Maravilha, né? Agora quero ver assumir que votou no doido. Quero que se acuse também um cara que votou em um vereador e saiu pra pesquisar o que que o cara tava fazendo lá dentro, por que esse eu quero reverenciar...

Ainda no Transparência, a gente descobre que o orçamento para 2008 da Câmara de Belém é de R$ 34.393.596. Dividindo esse número, por vereador, dá R$ 982.674,17. Ou seja, cada mandato desses senhores custa aos cofres públicos quase um milhão de reais por ano! Aí, fazendo uma nova continha, do total dos gastos com a Câmara pela população da cidade, o número resulta em R$ 24,41 por morador de Belém.
É pouco?
Pra quem sobrevive com R$ 100 por mês, tendo que alimentar mulher, três filhos, pai, mãe, pagar luz, água, comer (Com o feijão, 'o cara' da alimentação do povo brasileiro, batendo na casa do R$ 5), ir de um lugar ao outro, roupa, SAÚDE? Pensa de novo, pode não chegar nem na metade do que tu ou eu, não vou tirar o corpo fora, gastamos em uma noite de farra, mas pra um cara que sofre pra sobreviver, porque viver é luxo, R$ 24,41 é um dinheiro muito suado pra jogar pelo ralo.

Gente morre toda hora na rua, sem chão, sem comida, sem dignidade, e as pessoas votando em políticos que beneficiam aos seus 'poucos e bons'. De quem é a culpa? Quem elegeu, e ainda vai eleger esses 'palhaços', literalmente?

2 comentários:

Taynara disse...

Realmente, são péssimos esses candidatos que usam a fama para se eleger... e se formos raciocinar, uma grande parte dos políticos taí por isso. Saiu de alguma forma de fama que obtiveram para um cargo público... triste!
Acho que vou anular meu voto para vereador...

Ahhhh... eu te "adicionei" no twitter por causa do seu nome...
Nunca tinha visto Taynar, só Taynara como eu...

Bjs,

O Profeta disse...

Uma rosa breve
Uma hortênsia de alva cor
A terra molhada pelo sereno
Nos celeste paira um Açor

A madeira verde, a dança do fogo
O embalo do loureiro no vento, o alecrim
Um ribeiro de inquietas águas
Levam o perfume das mágoas em viagem sem fim


Convido-te a sentir a minha paleta de aromas


Mágico beijo