terça-feira, 1 de julho de 2008

If a told you a secret

Toda vez eu prometo. Faço juras, acendo velas, falo em mover rios e montanhas, mas sempre fica na mesma.
E post no blog, nada.
Mas tentando desculpar minha mentiras, minhas mancadas, here I am (rocking like a hurricane... - estou musical hoje).
Por falar em música, estou com uma da Amy na cabeça, You Known I'm No Good, e qualquer referência, pode ou não ser um mero detalhe.
Me chamem de utópica, mas eu, verdadeiramente, acredito que existe como ser totalmente sincera com alguém que se ama. Não que eu não entenda os custos disso. Não é toda e qualquer pessoa que entende e aceita certas coisas. Ninguém é de ferro, e eu, muitas vezes, também choro, porque as coisas doem.
Mas acho que dói mais quando se mente, se engana, se esconde.
Como podemos dizer "eu te amo, e juro pra você", quando estamos cruzando o dedo?
Não que eu seja o caminho da auto-sinceridade, mas de verdade, quando eu minto pra quem eu gosto, minha consciência só falta pedir demissão. Me sinto mal, suja, desonesta... E penso: "Como eu espero que dê certo, quando não tô fazendo a minha parte?".
Sempre vai ter um que vai apontar o dedo e dizer que sinceridade total é tão mito quando a minha amiga Fernanda (Gente, juro que ela existe. Têm uns 5 anos que eu não consigo falar com ela, mas ela não é invenção da minha cabeça), mas eu acho que podemos tentar.
E ainda vai ter um engraçadinho, que vai me perguntar: "Você nao mente?" Eu minto! Mas não quero mentir pra quem amo.
Quem nao tem medo de expor aquele segredo mais obscuro? Aquele fato que a gente esconde até de nós mesmos? Eu tenho, eu assumo!
Fico pensando que no dia em que eu achar uma pessoa de quem eu verdadeiramente gosto, vou ter tantas coisas pra contar, que tenho até receio. SIM! É natural ter receio, mas já ouviram aquela música:
'E eu vou tratá-la bem, pra que ela nao tenho medo, quando começar a conhecer meus segredos...'

É por ai que a coisa vai.
Todo mundo diz que eu sou doida. E talvez até seja.
Mas quando eu me jogar de cabeça, não vou olhar pra trás e pensar que eu deveria ter feito algo que não fiz.
Não irei deixar restos em cima dessa montanha.

Um comentário:

Seymour disse...

doida.. sim.. concordo..

mas descordo de uma coisa.
Eu acho, e tenho a certeza, que a pura das mais sinceridades não ajuda nem alimenta relações... Todo o ser humano precisa dos seus segredos, das suas privacidades. E quando digo isso não falo em mentir para o outro. Falo em ocultar. Ah e não me digas que é o mesmo!!!
Quantas vezes uma pequena mentira, uma ocultação não fortaleceu ou salvou relações? Pessoas que amamos? Seja que tipo de amor for...
Por mais que amemos alguém, e por mais que sejamos amados por alguém, continuamos a ser diferentes, e a ter diferentes maneiras de interpretar palavras e acções! Continuamos a ter diferentes maneiras de pensar. Mas continuamos a nos amar...

E é isso que faz bela a vida! :)


PS: Leio estas coisas e dp com posts destes ainda dou cabo da minha reputação!! lolol