sábado, 25 de setembro de 2010

I'm in here, can anybody see me?

Eu começo achar que tenho sérios problemas.
Não que alguma vez eu tenha de fato desconfiado dessa afirmação. Eu convivo comigo e minha mente, logo sei que normalidade não é habitué daqui.
Não acho que esteja fazendo papel de palhaça, porque eu não vejo muito riso em mim, ainda que sirva de motivo de graça pelo meu cinismo e sarcasmo, afinal, é tudo tão absurdo que se eu não fizer piada, vou sair quebrando alguns pratos, de fato.
Se não sou palhaça, sou então algum tipo de exibicionista sem platéia. Porque eu realmente me sinto berrando, com roupas coloridas, cartazes gigantes e trinta holofotes de máxima potência em cima de mim.
'Hey, olha pra cá! Eu tô aqui! OOOOOOOOOOOI?'
E nada! N A D A. Cadê a platéia, minha gente? To gastando meu melhor número. Grande número, devo dizer. E nada.
Minha frequência de berro é diferente, e a audiência é daltônica e surda?
Começo a crer que de fato o problema tá em mim.
Porque eu tenho que ter sérios problemas pra continuar nesse freak show que não me dá nada, nada. A não ser uma sensação de que tô me esforçando em vão.
De que adianta? O que adianta berrar pra quem não quer ou pode ouvir?
Acho que vou aposentar esse número. Tô muito cansada.
Boa sorte com o próximo candidato.

3 comentários:

Ivan disse...

fuckin' acid...

how is it going, dude?

Ivan.

Lekkerding. disse...

I can hear you. Dance along.

Maria Rita disse...

"Eu convivo comigo e minha mente, logo sei que normalidade não é habitué daqui."

Adorei a sua inteligência, escreve muito bem, por certo voltarei!

Beijos pra Ti