terça-feira, 28 de outubro de 2008

Don't paint the silence black now

Perdão. Desculpa. Isso ela entendia.
Certos conceitos eram fáceis de entender. Não precisam de muito esforço.
Absolvição de culpa. Ok, ele errou, se arrependeu. Certo.
Ausência de culpa já era mais complexo. Mas resolveu focar no que entendia.
Remissão de pena. Quatorze anos de escola de freira entrando em ação.
Ela era humana. Dava as suas cabeçadas. Caía na hora errada, não ligava quando dizia que o faria, muita das vezes, deixou alguém esperando, logo perdoar é preciso.
Tirar a culpa. Calma aí. Tirar a culpa era algo completamente diferente.
Queria ser uma boa pessoa. Era uma boa pessoa, disso sabia, mas não o era besta, e se fosse, era por vontade dela, não pela de alguém, tentando enrolá-la.
Errou, perdão é válido. Mas anular a falta, dizer que o perdão tornava alguém santo novamente era demais. Todo mundo podia tentar de novo. Agora quem poderia te culpar por amarrar uma cordinha no pé da mesa?
Não é porquê tu dizes 'sim' hoje, que amanhã toda dor será retirada. Isso leva tempo, e ela não estava afim de esperar.

E procurando no dicionário mental/emocional que guardava consigo, encontrou a palavra que sabia ser a certa: pretexto.
Mandou o filho da puta às favas, e pediu mais uma dose.


* Gente, sou corrospética mesmo, e só agora vim agradecer aos selos dados pela Mulher Diferente e pelo Vida Cotidiana. Meninas, MUITÍSSIMO OBRIGADA e sorry pela demora, mas as coisas andam corridas nessas minhas diversas realidades. Mas valeu mesmo. Beijos

E uma confissão: esse texto é velho, tava rolando no rascunho do meu email faz tempo, mas tô numa correria só, portanto, foi ele mesmo. Sorry, again! Eu vou criar vergonha na cara. Um dia. Talvez. Quem sabe!

PS: Acho que a Mirna foi tragada pela terra...

27 comentários:

Betty disse...

Ai ai...pretexto...isso eles sabem até do avesso, aliás, nós seres humanos, que respiramos e amamos, ou não, sempre temos um pretexto, seja para ver ou não, para querer ou não, mas temos!
Que bom, achei alguém que tbm está superocupada...rs
bjs betty

vida cotidiana disse...

O texto pode ser velho mas é muito bom , parabéns, você é muito criativa.

Nem Li disse...

Concordo com a "vida cotidiana"!!!

Sempre mais uma dose...

AHUiahaIU

Aline T.H. disse...

Eu sempre digo que alguém pode tentar me fazer de idiota quando quiser, mas escrever na minha testa é algo completamente diferente. Mais ou menos por aí ;-)

Beijos, gata. Como sempre, mesmo na correria, escrevendo muito muito bem =o)

Nucifera disse...

vergonha na cara pra quê, mulher?!

Continua sem vergonha que está lindo! Esse post disse tanto sobre mim! Adorei!

Boa semana pra você! E ah! Sorte na correria entre as diversas realidades!!!!

beijos!

Lekkerding. disse...

Minha avó dizia isso. E eu carrego na cabeça o tempo todo. Se esbarro em alguém na rua, "desculpe, não o vi". Acho válido assim; eu realmente não tenho culpa de ser cegueta, ou da calçada ser apertada. Se com minhas ações acabo ferindo alguém, "desculpe" não é opção. É o perdão. Porque não posso dizer que foram as vozes, e portanto a culpa nãoé minha. Fui eu. Eu assumo. E peço perdão.

mania disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
BelaCavalcanti disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Bem Resolvida disse...

pedorar tudo bem...já permanecer juntos......



outros 500!!!

beijos!

Homem do Cafezinho disse...

Querida, textos são como os vinhos (mas os bons, tipo aquele que você tomou na última sexta) melhoram com o tempo!!!!

Sei que tenho sido meio relapso com as minhas leituras, comentários e aparições no MSN, mas é final de bimestre e os alunos estão todos desesperados para entregar os trabalhos....prometo que recompensarei à blogosfera assim que possível!!!

Quanto aos seus textos, o que eu posso dizer?!!? Continuam maravilhosos, assim como você e o seu espírito!!!!

Pavón disse...

Texto velho ou não, ele é muito bom mesmo... esse jogo que vc faz com a culpa, o perdão, perdoar porém nao ser boba a ponto de retirar a culpa.... e depois mandar quem é de direito ao devido lugar, OTIMO!! rssss

Beijooooooo!!

Jaque Lima disse...

É perdoar não é fácil. só parece. porque de um jeito. ou de outro. a gente nunhca esquece. agora não me venha com novos pretextos. porque aí já é demais!

P.s: então eu serei jornalista, porque ainda estou na universidade. Mas me aguarde!!!

Beijos moça.

Conde Vlad Drakuléa disse...

Excelente texto querida Taynar, genial como sempre! Grande beijo do conde! Voei!

Loira e Morena disse...

Taynar,
"Pensei em ter a casa da Barbie toda", foi uma gracinha...adorei a experssão!!..rs
Bom, é isso mesmo, vc me entendeu direitinho...eu quero uma coisa q ele so pod eme oferecer bem menos do q eu quero...melhor eu seguir minha vida como ele tem feito com a dele..
Ja estou sofrendo e sei q vai ser pior ainda..mas quem sabe la na frente eu olhe para tras e veja q valeu a pena a minha escolha!!!!
Mto obrigada pelo apoio...é bom ver tem gente q passou por situações tao parecidas com a q estou passando..

Beijocas da loira

Sieger disse...

Maravilha de texto... e de pretexto tb, risos.

Cogumela =) disse...

Nossa... adorei (mesmo velho)

^^ Beijos, guria!




-cogu-

Jessyca disse...

Pois é ..

as vezes beber alguma coisa é só que importa ...
pra esquecer de todo o resto e talvez ai .. o pior seja o melhor, que sobe a cabeça e te faz por um instante esquecer o bem e o mal!

Nanda Nascimento disse...

Só não pode é persistir no erro, senão a história muda.

Um ótimo final de semana!

Beijos e flores!

Cadinho RoCo disse...

Txto assim não tem idade é atemporal, muito bom. Quando o tempo apertar, peça uma dose.
Cadinho RoCo

Luciano disse...

Te devia uma visita... Mas não devo mais algumas palavras..
Atualizei meu blog.
Abraços.
Lucci..
PAPIROS DE ALEXANDRIA
http://papiros.zip.net

(PS.: Onde encontro mais de vc?...)

iara disse...

ainad bem que vc postou então!
adorei.
e até perdão tem limite...bj

Cogumela =) disse...

As vezes não tenho tempo para isso, outras não quero ter e ainda, posso tê-lo sem a vontade de usá-lo.

alguns de saco cheio.
alguns de saco vazio.
eu? sem saco!

sojieb!

-ugoc-

Cogumela =) disse...

As vezes não tenho tempo para isso, outras não quero ter e ainda, posso tê-lo sem a vontade de usá-lo.

alguns de saco cheio.
alguns de saco vazio.
eu? sem saco!

sojieb!

-ugoc-

Troll disse...

Caríssima menina, desse sorriso tão belo e olhos idem, esse texto realmente me pegou pelo pé. Existe a negligência, existe o perdão, o aprender com o erro. Mas tábula rasa, apagar tudo pq não foi realmente isso? Bem mais difícil, se não impossível.

Mandar cada fdp às favas, quando a justificativa não parece ser outra, por vezes é a única solução.

Zunnnn disse...

Acham que...Porque você desculpou é a mesma coisa de... "Pode ficar do mesmo jeito.."

-Me perdoa por ter te deixado falando sozinho?

-Ah, sim.Tudo bem.

-Como que estão as coisas?

-...

-Pensei que você tivesse me desculpad.

-Desculpei, só não dou vazão a mais erros.

-Isso é desculpar?

-É...Desculpar e não esquecer!!! Hehe

Ex, tosco..rs mais a profundidade...vc sabe...

pisão no pé desculpa, mas a dor da fdm(filha da mae) continua. rs

abraço

Flávia B. disse...

Pretextos, eu ando cheia de pretextos, eu preciso de menos pretextos e mais qualquer coisa que não seja isso.

Beijos!!

Fernando Ramos disse...

Legal, Taynar, essa coisa das pessoas quererem que tudo seja resolvido rapidamente. Bom, sou suspeito pra falar, pois não guardo rancores de ninguém, é muito raro. Então, às vezes me chateio mas em conco minutos já estou bem.

Ah, e isto versa muito também com algo que às vezes digo:

"Fiquei chateado? Fiquei. Não tenho direito, sei disso. Mas tenho o direito de me chatear, oras!"