quinta-feira, 18 de setembro de 2008

I'm trying the best that I know how

Andando, sem sentir. Ela sempre fazia isso.
Quando a mente estava cheia de pensamentos, ela andava pelas ruas da cidade sem se dar conta.
Se ia de um ponto ao outro, e tinha assuntos pra debater mentalmente, era capaz de percorrer distâncias enormes sem nem se dar conta da paisagem ao redor. E depois, quando tentava refazer o caminho que tinha percorrido, Nossa!, parecia uma coisa de filme, onde havia um branco na mente.
Hoje era um dia desses. Saindo do trabalho, caminho de casa, sol se pondo. Andando e pensando. A única companhia era uma garrafinha de água mineral, que bebia de vez enquanto, completamente desinteressada. Um pensamento lá no fundo apareceu afirmando que ela devia passar na padaria, para comprar um doce, mas morreu tão logo surgiu.
Ela tinha tanta coisa nova pra pensar, tantos assuntos que mereciam reflexões que nunca tinha feito.
Ela uma vez tinha lido que as mulheres chorando nas ruas sozinhas eram as mulheres mais solitárias do mundo. Ela não estava chorando, e mesmo assim não sentia uma conexão com o mundo que corria. Não estava triste também. Talvez seu cenho franzido enganasse algumas pessoas.
Mas dessa vez, não era isso.
Ela simplesmente estava pensando, julgando, avaliando, analisando, dando pontos e nós em assuntos que mereciam um tanto de atenção.
Não ouvia o barulho dos carros, mesmo com o som ensurdecedor que faziam ao seu redor. Não ouvia os gracejos dos guardas que ficavam sempre no seu caminho, na volta pra casa. Nem se preocupava em correr, para aproveitar o sinal, na rua mais movimentada da cidade.
Ela sabia o que estava fazendo. Estava moldando pouco a pouco a sua mente, obrigando-a a cogitar possibilidades e descartar opções. Sendo assim, o que importava o caminho?
Simplesmente, era ela, a rua e a noite, recém-chegada.

* E para o desocupado(a) sem ter o que fazer, que resolver usar o nome da Dra. Lee por aí: get a life!

18 comentários:

canseidexuxu disse...

Nossa... Eu faço isso direto! As pessoas que me encontram na rua geralmente acham que sou grossa, ou porque ando séria, ou porque passo e não vejo! Completamente envolvida pelos pensamentos...

Beijos!

PS: Era tu pensando em ir na padaria comprar um doce? Hahaha, mas tu és mais formiga do que eu imaginavaaaa! :)

Homem do Cafezinho disse...

Taynar minha querida, isso provavelmente deve ser algum efeito colateral de nossa formação acadêmica porque, por várias vezes, "desviei" o caminho de casa para divagar pelas ruas acompanhado apenas do som de minha própria respiração e dos auspícios suaves da mãe lua.....

Violeiro disse...

Caminhar sem perceber:maquina e razão.Deixar o pensamento fluir,andar é do bípede.A catarse não é nem triste,nem alegre é necessária.Há várias maneiras de introspecção.Yoga,zen,transcedental e caminhando.Um filósofo árabe,não me lembro o nome agora,diz em um de seus livros que pra realizar algum projeto é bom caminhar tendo-o em mente,após 15 minutos,quando começa a transpiração,começa a solucionar-se o desejado.Sei lá .Eu faço.É legal...Esquece o doce da padaria e concentre-se no doce do seu espírito....que te quero doce.....abs

Lekkerding. disse...

Talvez seja uma fase, talvez seja inerente ao ser humano, talvez seja uma dádiva divina, talvez tudo isso seja obre da Matrix. São tantas as variáveis, que até dói a cabeça pensar. E pesar. Ter a consciência, e usá-la para pensar nas coisas... É assim.

Aline T.H. disse...

Andar a esmo é sempre bom para pôr as idéias em ordem, mesmo que isso não seja sempre bom. E é engraçado como tudo em volta some...

Beijos.

Terra disse...

E ele não voltou? Nem deu um sinal de vida?? Eles só podem ser meio loucos...rs..todos eles.

Nanda Nascimento disse...

É por isso que muitas vezes, ouço uma voz distante de alguém me chamando e quando olho a pessoa está do meu lado.


Beijos e flores!!

Terra disse...

Rs.. não sei se rio ou se choro com estas histórias. O mundo seria tão melhor se não houvesse estas separações. Porque temos que sofrer tanto assim com essas perdas? A única coisa boa disso tudo é que temos certeza que um dia passa completamente. Vc deu seu voto lá na minha enquete?(tão ridículo fazer enquete pra isso...rs...mas é o desespero...)Passa lá pra votar. Bjs.

Flavinha disse...

Essas andanças sem rumo são aquelas nas quais temos mais chances de encontrar o caminho certo :)

Lisonja pouca é bobagem para o link - brigadão! só não levei o seu ainda porque o blogger anda sabotando as minhas edições. Mas estou tentando, estou tentando...

Beijo!

Jhennifer Cavassola disse...

Humm isso já aconteceu várias vezes comigo hehe. Certa vez acredita que fui pegar o carro e fiquei rodando, viajando nos pensamentos. O carro estava estacionado de frente pra rua que eu estava. Dai rodei, até que me vi e me perguntei: - uai, o que estou fazendo, vou pra onde? hehehe Dã!! Voltei mais duas quadras hehe

MAs de vez em quando isso é bom, faz a gente ter 15 minutos com nosso eu, parece que ele pede isso. Um tempo pra gente.

:)

Fica com Deus querida e tenha um dia maravilhoso!

Bridget Jones disse...

De vez em quaando eu decido dar umas voltas por aí sem saber para onde, ouvindo música no último volume para ver onde eu chego. Faz um bem danado.

E muito grata pelo apoio na campanha: "Ta com inveja da Lee? Get a Life!!!!"

Vc é a criadora! hehehe

Cirilo Veloso Moraes disse...

Esses momentos de introspecção são fundamentais, taynar. Livrar-se do lixo mental e colocar as idéias no lugar. Xêro.

João Pereira disse...

Vi um comment teu noutro blog e surgiu-me uma dúvida:
Quanto é que recebe mais ou menos um jornalista ái no Brasil? Ordenado mínimo? Ordenado médio? Ou acima do médio?
:D hehe apenas curiosidade. Se pagarem bem sou capaz d ir para aí! hehehe

João Pereira disse...

Também não é muito! Depende se é imprensa diária ou não! Se não for imprensa diária o cenário ainda é pior. Ronda o ordenado mínimo nacional, cerca de 400 euros. (não sei quanto é isso em reais)

Terra disse...

Amei seu texto. Devo ter me identificado uns 98% com ele.Posso copiá-lo em meu blog?
Ahh...Obrigada pela força. TÔ mesmo precisando de uma amiga que não me conheça pessoalmente...acho que meu orgulho não me permitiria me mostrar tão fraca... Bjs.

Terra disse...

Obrigada Taynar. Suas palavras tem sido confortantes para mim. Espero poder retribuir de alguma forma. Espero que não fiques nunca mais nessa dor de cotovelo que estou e que vc já ficou, mas se aparecer algum outro louco em sua vida, não deixe de me avisar. Te ajudo a bombardeá-lo,,rs,,,

Cyntia Taborda ") disse...

Caramba Tayy!
totalmente intimistaa: vc e vc!
eh bom nee?parece que depois desses momentos passamos a nos conhecer mais!
;D

bjaao!

Luciano disse...

Taynar, passando pra dizer que adorei seu blog..
Mesmo que jornalista, mesmo que incorreta ou parcialmente completa..
Bjs
Luciano
Um ex-jornalista
PAPIROS DE ALEXANDRIA - O blog mais mediocremente letrado da Internet
http://papiros.zip.net