sexta-feira, 29 de agosto de 2008

Vai uma tequila aí?

O texto já foi escrito há um tempinho, mas quando li o do Coisa Errada, me identifiquei completamente, ainda por cima, hoje é sexta-feira! Claro que o da Rachel tá dimás de melhor, mas aí vai a minha experience.

A consciência supostamente acorda. "Quem sou eu? Que gosto de aço é esse na minha boca? O que é vir a ser eu? Onde o tal do 'eu' tá?".
Isso tudo num lampejo tão rápido e instantâneo, que tens certeza de que morrestes e ainda não sabes. No mesmo nanossegundo pensas que se não morrestes, as dores na tua cabeça junto com as reclamações da dupla estômago+fígado, te fazem desejar que o fim realmente esteja próximo, tipo, no próximo nanossegundo.
E isso tudo aconteceu antes mesmo de teres aberto os olhos, coisa que num nível sobrenatural, sabes que vais ter que fazer e que a sensação não vai ser nada agradável.
Mas vamos lá...
Um olho, pow!, a primeira marretada, os dois, pow!², quase como quando descobres que a tua irmã mais nova tá grávida do teu namorado, ou o time de futebol do Brasil ganhou um jogo realmente importante.
Aí tu começas a tentar te lembrar qual foi a hora que o carro onde tu tavas bateu, já que a dor tá insuportavelmente latente, já pensas até em apalpar os teus membros, pra ver se estão todos inteiros, e aí... Um flash, seguido de uma profusão de outros.
Risadas, shots de tequila, baldes de cerveja indo e vindo.
Subitamente, sentes que o que quer que tenha ocorrido na noite anterior, foi mais desastroso que um acidente de carro.
É difícil, mas levantar é preciso, e opa!, por que o mundo ainda deu essa súbita giradinha?
Mas nada é tão impactante quanto a tua cara no espelho. Pareces uma refugiada de guerra, que passou dois anos escondida num porão, sem água, luz, ou presença humana, e que escapou antes de levar um sabão: o rímel mal removido pregou que nem chiclete em todos os lugares, menos nos teu olhos, a pele com um aspecto de pupunha às três da tarde, os olhos completamente fundos, e lógico, o cabelo! Meu Deus, o que aconteceu com os fios escovados de ontem? Eles estão do tamanho da juba da dona Elba (sem direito a cachos definidos, ou uma armação milimetricamente arrumada, ou ainda com aspecto semelhante de ter visto uma escova num raio de 800km, obviamente!), ele tá parecido com o cabelo do Gene Simmons em final de show, quando o Kiss ainda pintava a cara e comer morcegos no palco era da hora!

Novamente, morrer ainda não é uma opção.
Tomar banho, é isso! Depois disso melhora.
No chuveiro, nem com meia hora de chuveirada gelada, teu cérebro dá sinal de que vai voltar ao seu estado normal, mas viver é preciso.
A primeira roupa do guarda-roupa. Qualquer calça jeans que dê, uma blusa confortável e folgada, um sapato bem baixo, e uma tiara na cabeça, afinal, não teve acordo com o cabelo, Leãozinho!
Enquanto tentas te parecer menos com um zumbi de algum filme do Robert Rodriguez, ficas vasculhando a mente, tentando conectar os vários flashes desconexos que passam pela tua mente. "Eu cheguei e sentei... Bom, só lembro até aí... Que horas o segurança me expulsou do banheiro? Foi antes ou depois d'eu fugir do carro do Henrique? Não, isso foi depois que o garçom pediu pra gente ir embora porque o bar tava fechando... Mas então quem me deu aquele pirulito? E aquela garrafinha de água que tá na minha cabeceira, eu cheguei a beber aquilo? Quando eu apresentei o Fernando pra Marcela? Quem é Fernando?” e cRássica, lógico: “Como eu cheguei em casa?"

Toca pra cozinha, meio cambaleante, ainda incerta se realmente o efeito do álcool já se foi, ou ele tá só te sacaneando, indo e voltando como um daqueles teus ficas, no final de semana.
E só pra começar a manhã, um combo de coca-cola-hiper-gelada+dorflex+e-algumas-muitas!-gotas-de-dramin! Ah! O dramin... É melhor beberes direto do vidrinho, gute-gute... E toma-te coca-cola!
Enquanto tu saboreias aquele líquido da cor do petróleo e tão rico nesse momento quanto, olhas pro lado, e a tua secretaria tá te olhando, com aquela cara de "a-noite-foi-realmente-boa-parabéns-pela-ressaca", tu pensas "se eu prometer não beber mais, alguém põe fé em mim"? A resposta, é tão divertida quanto os surtos de enjôo que a gastrite envia nervosamente pro teu cérebro.

Então, olhas pro céu, e quase crêes que Deus deve ser um cara com um senso de humor, no mínimo, excêntrico, porque são 8 da manhã de um DOMINGO, tás indo trabalhar e a previsão de volta pra casa, é, não NUNCA antes, às 8 da noite.

Ahhh, e o melhor: tu, na casa do teu cunhado, morrendo de dor, de ressaca, de qualquer coisa, desde que morras, quando a mãe do dito pergunta: "Mas, minha filha, o que foi que você comeu? Pra tá vomitando tanto...", e a tua irmã (ah!filhadaputa) responder:
"Comeu? Pergunta o que ela BEBEU, né..."
Life wouldn't be better.

5 comentários:

Cyntia Taborda ") disse...

Tequila?Jamaaaais!
uehieheieui
tenho medo :S
haiuhaiuahiauhiahuai
sou doidaa ne?! x)

Nao precisa agradeceer viiu? Estarei aki sempre =)

Bjaao floor ;*

canseidexuxu disse...

Oi!
Brigada pela visita e comentário! :) Que bom que gostasse!

Qto ao texto... Putz, nunca mais quero passar por isso! Depois de um porre de apagar (de tequila) parei de beber hahaha!

Beijos
Xu

Cyntia Taborda ") disse...

falei que tenho medoo!!
hahahha
vai que acontece a mesma coisa que tah ai no seu post!!
ja ouvi aaaltas hiostoriaas!
euehiuehieuheiu

;* floor

O Seu Livre Arbítrio disse...

Oi, legal o seu blog, tô passando aqui, visitarei outras vezes!

FERNANDO RAMOS disse...

"Um olho, pow!, a primeira marretada, os dois, pow!², quase como quando descobres que a tua irmã mais nova tá grávida do teu namorado..."

Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.

Entendi porque não mistura o José com teus outros amigos, Taynar. E sabe o que e irônico? Ontem tomei caipirosca, whisky, cerveja e vodca com energético. Daí, imagina a série de arrepios ao ler as sensações bem descritas do day after, né? Hehehehe.

Beijocas!