domingo, 31 de agosto de 2008

E largava as roupas pelo chão...

Quieta, sentada, bebendo, conversando, alheia.
De repente, ele chega, senta, puxa papo, insiste, brinca, se faz notar.
Ela resiste, não liga, não dá papo, não endossa.
Ele continua, persiste, agrada, encanta, seduz, a leva.
Ela cai.
Eles saem. Ele, solícito, gentil, cheiroso, inteligente. Fala de trabalho, viagem, desejos, faz bico, tira graça, cativa. Não liga, cobra presença, deixa sua marca, diz que sente sua falta. Fala da vida, dos irmãos, da família, conta sua história, mesmo sem ela o pedir. Pergunta onde ela quer ir, coloca o óculos só pra saber a opinião dela, conta sua maior decepção, escolhe sua música favorita.
Ela, incauta, pensa, repensa, imagina, se ilude, espera, deseja, faz planos.
Compra um vestido que não faz seu estilo, olhando-se no espelho, pergunta se ele irá gostar. Pensa em como vai prender o cabelo, e o que vai dizer. Fala dele pra melhor amiga.
Se apronta, se perfuma, calça um sapato especial, e coloca o tal do vestido. Espera.
E espera.
Passa da hora. Passa do dia.
Quando não espera mais (alguém acredita?), ele liga. Se atrasou, esqueceu, o cachorro morreu e o carro pifou.
Ela, não acredita, mas se esforça, incauta, a coitada.
E torna a esperar.
Ele aparece. Lindo, cheiroso, brilhante, gentleman as always.
Ela, cada vez mais na expectativa, cada vez mais sonhadora.
Ele a leva pra almoçar, tomar sorvete, tomar um chope, conversar. Liga, depois de sair com os amigos, pra dizer que sentiu sua falta, se ela sentiu a dele. Comporta-se como um príncipe, faz suas vontades, entende suas palavras.
Ela o vê como promessa. Do que vai vir, do que pode ser.
Ele a vê como ela não esperava que fosse. Calma, centrada, inteligente, bela.
E justamente, quando ela não mais esperava, ele vai embora, levando sua presença, e deixando um vazio que ela não queria que estivesse lá. Sobrou só a lembrança.
E um vestido, que ela nunca usou.

6 comentários:

Mulher é tudo bandida disse...

Olha.. bandida letrada é uma coisa dificil de encontrar.. belo texto.. palavras que fazem visualizar... sentir. Gosto disto. Parabens!

Volte sempre ao distrito Tay
Vou adicionar vc aos links..

minicontosperversos disse...

É aquela história de experimentar pra ver no que vai dar. E nessas aparece um "experimento" novo... Vai atrás, bela. Somos mais você.

Cyntia Taborda ") disse...

Nooossaaa!
eu "vivi" essa historia,de tao reais que estao as palavras...imaginei tudinho!
gosteeei ;D

Quanto o seu comente no meuu ...
que sorte a sua heeim *.*
queria uma mae assim tbm!
hehehe
Brigada pelo conselho viiu?

bjaoo liinda ;*

Tenente Magalhães disse...

Very Nice... Very Nice...


Pena que não é verdade. Só seria verdade se fosse o contrário. Uma mulher (bandida) fazendo isso com um rapaz. Aí sim seria mais verídico.

Acusações à parte: Postagem sensacional.

Tenente Magalhães disse...

A senhorita está colocando em dúvida a sexualidade de uma ôtoridade!? A senhorita está muito engraçadinha!

Vamo pará que isso não é bagunça não !!!

Mas ora veja, essa meliante!
=P

Alice ainda mora aqui disse...

Once upon a time a história de todas nós!
Belo texto
besos