domingo, 12 de outubro de 2008

Mas da janela já não entra luz

Noite de festa, a melhor noite.
Espaço aberto, rua larga e muita gente. Milhares de pessoas, milhares de rostos, praticamente toda a cidade.
Ela numa calçada, com as amigas, esperando, rindo, na mão um catavento colorido, que insiste em soprar, sem nem saber porquê. Aquela espiral multifacetada a anima.
De repente, do outro lado, um perfil. Cabelo conhecido, jeito de rir característico, um nariz. Tanta gente, tantas coisas, mas ainda assim, só aquele perfil a sua atenção.
O mundo pára, que clichê. Congela que nem em um filme B, onde o catavento não roda, a pipoca não pula, e ninguém vive. O sangue pára de circular, só o coração continua a bater, e surpreendemente, mais rápido.
Há alguns metros de distância, mas distante milhares de kilômetros dela, está ele. Ele. Aquela pessoa que tanto significou, mas que por pouco tempo esteve presente.
Ela sai atrás dele, deixando todo mundo, sem medo de se perder no meio da turba, já que perdê-lo novamente é dolorido demais.
Ele vai na frente, com uma 'amiga', que o abraça, arranca sorrisos do seu rosto. Ela segue, se martirizando com aquela cena, ainda que sorrindo, só por vê-lo.
Uns metros mais adiante, a consciência volta e ela estanca, derrubando pessoas que seguiam atrás. Estanca para se perguntar o que, diabos, estava fazendo. Ele decidiu seguir em frente, não competia a ela seguí-lo mais, ainda que ela quisesse, ainda que a vontade fosse enorme de mais uma vez estar ao seu lado.
Não importa se ele não a vê, não importa se ela não fala com ele. O que importa ela não sabe.
Olha a última vez, enquanto ele segue na rua apinhada, ainda rindo, ainda lindo, e vira, não triste, não feliz, mas deixando o catavento no chão.


* Ainda que vocês nem saibam o que é, Feliz Círio, pessoas! =)

38 comentários:

Lekkerding. disse...

Feliz Cereal! \o/
E fique feliz ^^

Brandão disse...

Delicioso o post. Já estive no lugar dela, e também tive que virar as costas e partir.
"Um dia é preciso parar de sonhar e, de algum modo, partir..." Amyr Klink

canseidexuxu disse...

Não deve ter sido fácil... Mas a consciência chegou a tempo, o que demonstra um... closure! Miuto bom...

Descansou?

Feliz dia sei-lá-o-quê pra ti tbm! :)

Beijão!
Xu

vida cotidiana disse...

Às vezes as ecolhas são difíceis porém importantes, o coração esse danadinho que briga com a nossa consciência, essa criança que não para de aprontar. bjs

Késia Maximiano disse...

Sempre há um momento em que é necessário escolher, e numa batalha ardua entre cabeça e coraçaõ... Eu tenho escolhido o coração.. E isso tem me rendido bons frutos =)

Post delicado e saboroso...

Bjos, amei!

Zunnnn disse...

Ela sabe..
Deve saber... Que nem todos que dizem adeus, ficam, mesmo que ela queira.
...Deve doer nela ver a partida daquele que ama...

É...

Abraço

Zunnnn disse...

"Não importa se ele não a vê, não importa se ela não fala com ele. O que importa ela não sabe."

Não importa o quanto se importa, às vezes ninguém se importa...Algo assim de alguém.. M.Q, acho..

Abraço

Não Somos Apenas Rostinhos Bonitos disse...

RAZÃO E EMOCÇÃO - A ETERNA BATALHA!
Vá lá no Rostinhos Bonitos que fizemos um post com modelitos para blogueiras como nós.
Beijocas,

Jhennifer Cavassola disse...

Estou numa correria, mas prometo passar depois pra ler sua postagem. Beijos

Ah, tem um selo pra vc no meu blog!

Viviane de Campos disse...

e quem já não passou por isso???
dói...
mas passa... ainda bem...

bjs

Loira e Morena disse...

Que lindo o texto!!
Adorei..
É tao dificil saber quando a emoção pode falar mais alto que a razão, né!!..se bem que no meu caso ela sempre fala mais alto..e isso é ruim!!..
Voltarei mais vezes aqui para ler seus posts..gostei!!..hehe

Beijocas da Loira

Sargento Peixoto - O Monge disse...

Azar o dele.

Atualizado.

O episódio de amanhã é quase todo seu

Homem do Cafezinho disse...

Post saboroso querida!!!! Muito bom mesmo de ler, dá pra se sentir dentro do Círio, quase que segurando a corda, percebendo todas as emoções que ela (ou vc??) sentia....

Mas, assim é a vida que segue. Como você já sabe da minha história, sabe que já senti isso e, lhe confeso uma coisa, fiquei bem melhor depois que pulei!!!!

João Pereira disse...

RAZÃO E EMOCÇÃO - A ETERNA BATALHA
Concordo!

C. Biasucci disse...

FELIZ CIRIO??

WAHT'S THIS??

Nucifera disse...

É dificil dar "adeus" para certos momentos, às vezes queremos que ele cotinue, mesmo sem a outra parte ou mesmo sem as duas. Mas é sempre melhor seguir. O fim renova. Sempre.

Beijos moça!
Cuide-se!

Sargento Peixoto - O Monge disse...

Esse dia vai durante a narrativa dessa semana. Têm muita coisa pra sair desse contexto hoje implementado.

Beso.

Sargento Peixoto - O Monge disse...

Eu fiz algo que dava para qualquer pessoa se identificar dessa vez, mas pra variar o verdadeiro sentido de tudo fica só na sexta feira.

Nota que sexta passada não foi o final da crônica. Foi apenas o final da primeira noite, o final da crônica tá lindo, perfeito, mas eu num consigo parar de escrever o meio.

Sargento Peixoto - O Monge disse...

Exatamente, eu sei como começa e como acaba, eu sei como desenrrola também, mas eu não consigo parar...

Nota, a palavra eu caiu exatamente embaixo uma da outra.

Senti-me mais egocêntrico que o normal.

Acho que vai gostar do amanhã. Se vier a noite como sempre eu te dou o Preview.

Zunnnn disse...

rs..
minha memoria sempre me trai!
rs
Mas tem certeza que é dele?
rs

To ruim.. e sempre que eu comento aqui.. sempre me dou mal. rs
Mas é a vida!
rs

abraço

Zunnnn disse...

acho que sou o mais desastrado daqui..rs
sempre dou bola fora! rs

vc tem msn?

abraço

Nem Li disse...

feliz o que?

Zunnnn disse...

essa é a hr que vc finge que nao ver?
rs

okey

Esquenta nao.. ta tudo bem.

abraço

Zunnnn disse...

aaah bão..rs
entao vc ja ta la...
rs

obg. abraço

o que me vier à real gana disse...

Taynar, a razão sobre a emoção? Ou simplesmente o guião? O guião que tu seguiste, que ele segue, que eu sigo... Dificil!


Novo post no "real gana", queres comentar? Eu gostaria...

Aline Dias disse...

Feliz!!

Troll disse...

Nossa, esse texto tem algo de uma angústia, mas tbm de uma libertação, nele! Adorei, caríssima. O gesto singelo ao final dele é de apertar o coração, mas belíssimo.

César disse...

Denso, bem escrito, intenso. Dolorido. Gosto doss eus textos . Tenho um jornal na minha cidade. Bom te ler

César disse...

Denso, bem escrito, intenso. Dolorido. Gosto doss eus textos . Tenho um jornal na minha cidade. Bom te ler

Mirna disse...

Aquele que tão pouco tempo ficou, tanto representou...
e representa...
mostra que ainda há vida
que ainda há esperança para aquelas que esquecem que tem coração!

Sargento Peixoto - O Monge disse...

Hoje o post será noturno, dá pra você acompanhar o processo se entrar pra ver. Fiquei sem tempo o dia todo.

Sargento Peixoto - O Monge disse...

As said it was done.

Atualizado.

FilipeBambu disse...

Eu fiquei triste com esse texto nazinha!
Porque ele demonstra uns dos motivos pelo qual eu larguei meu catavento...

Extase disse...

mas deixandoo catavento no chao
essafrase calou algo dentrode mim

Jaque Lima disse...

E ele feliz. ela não. ela que foi dele. ele que teve ela. agora ele não lembra dela. ela relembra ele. do jeito dela. e só. ela gostaria de estar com ele. mas ele já não está mais pra ela.

Beijo!

Flávia disse...

Também larguei alguns cataventos no chão. Assim, nem triste e nem feliz.

Sabe o que aconteceu? Vieram outros cataventos muito mais coloridos. No fim das contas, é só papel e cola.

Entende o que quero dizer, né?

Feliz muitas coisas pra vc, linda.

Beijos :D

Sargento Peixoto - O Monge disse...

Tive que sair batido do MSN, mas estou aqui.

iara disse...

oi linda!
belo post. entro mas nem sempre tenho tempo de comentar, seus posts exigem mais de mim ..
esse então....
minha razão quase sempre vence a minha emoção quando há conflito intenso entre as duas, não me arrependo, é pq geralmente é hora de descer do barco....e em geral a intuição já deu esse sinal tb, ou seja a emoção também sabe, embora exisat algo entre o apego e o fio de esperança, mas é sempre bom saber a hora de ir.


bjs